16 de outubro de 2008

Cotton Club



Sempre que alguém ouve o nome do meu blog a pergunta é inevitável, Clube do Algodão ? Porque Clube do Algodão?
Isso sucede com tanta freqüência que decidi fazer um post com uma breve historia sobre o Cotton Club, nome que inspirou o meu blog. È um nome sugestivo e bonito, um monumento a musica.

A historia do jazz e do blues esta tão firmemente associadas aos clubes, cabaret, ou seja lá como queiram chamar-los, que é tarefa impossível dissociar-los.
Tocar em um desses templos da musica, era uma catapulta para o sucesso. O clube conferia prestigio ao musico, e este retribuía enchendo suas salas e aumentando seus lucros.
Clubes de musica havia muitos espalhados por todo o território americano, era a época das Big Band dos anos 20 aos 50. Grandes orquestras de jazz e musica de dança, que chegavam a ter até 25 integrantes. Musica “negra” feita por brancos.

Foi no ano de 1920 que Jack Johnson, (nada a ver com seu homônimo de hoje) campeão de pesos pesados criou o Club de Lux. Sem muito êxito na empreitada o venderia em 1923 ao gângster Owney Madden que mudaria seu nome para Cotton Club.

Owney foi afortunado na escolha do nome . Este faz uma clara referencia aos campos de algodão do sul americano, onde, diz a lenda, teria surgido o blues.
Apesar da acertada escolha do nome, pouco de bom pode se dizer de Owney, que controlava o Club a distancia com mão de ferro desde o presídio de Sing Sing. Cotton Club onde se encontrava recluso. Apesar de ser um lugar de musica “negra”, só permitia a entrada a brancos. O forte sentimento de racismo podia ser percebido até no cardápio, que reproduzo aqui. Nele os “negros" são retratados como selvagens pulando de uma arvore. Músicos negros eram obrigados a entrar pela porta dos fundos, por muito prestigio que tivessem.

Grandes nomes da época que lá tocaram:

Louis Armstrong, Count Basie, Bessie Smith, Cab Calloway, Duke Ellington, Nat King Cole, Ella Fitzgerald e muitos outros.

E também Billie Holiday, a quem faço um aparte.
Billie foi e é uma das vozes mais importantes do Jazz e do Blues. Influenciando cantoras de varias gerações, desde Janis Joplin a Nina Simone, e muitas, muitas outras.

Sua comovente musica Strange Fruit se tornaria peça obrigatória de seus shows. Nela Billie canta em protesto ao racismo e um produto deste, frequente naquela época, os linchamentos . Ninguém consegue ficar impassível ao ouvir essa musica, que fala dos corpos pendurados nas arvores de uma maneira metafórica e contundente.

Em 1987, U2 lançaria a musica , Angel of Harlem, do seu álbum Rattle and Hum , em homenagem a imortal Billie.

Letra de Strange Fruit:

The Southern trees bear a strange fruit
Blood on the leaves, and blood at the roots
Black bodies swinging in the Southern breeze
Strange fruit hanging from the poplar trees

Pastoral scene of the 'Gallant South'
The bulging eyes and the twisted mouth
Scent of magnolia, sweet and fresh
Then the sudden smell of burning flesh

Here is a fruit for the crows to pluck
For the rain to gather, for the wind to suck
For the sun to rot, for the tree to drop
Here is a strange and bitter crop...



Billie Holiday - Strange Fruit (Não apta a pessoas sensíveis)



Alguns links para ouvir:



Billie Holiday - Autumn in New York
Ella Fitzgerald - Georgia on My Mind
Ella Fitzgerald - Blue moon
Louis Armstrong - What a Wonderful World
Louis Armstrong - When the saints go marching in
Ella Fitzgerald & Louis Armstrong - Summertime
Louis Armstrong - La vie en rose
Nat King Cole - Quizás Quizás Quizás
Nat King Cole - Mona Lisa
Duke Ellington - Satin Doll
Duke Ellington - C Jam Blues (1942)
Bessie Smith - The Empress of the Blues
Bessie Smith - St.Louis Blues
Cab Calloway - St. James Infirmary
Cab Calloway - Cab Calloway's Hi-De-Ho (1934)

7 comentários:

1.
Osc@r Luiz disse...

Time de peso do Jazz/Blues...
Foi mesmo privilegiado quem viveu nessa época.
Grande abraço e parabéns pela homenagem que o nome do blog faz.
Um abraço.

Turista de Plantão disse...

Ne me quitte pas com Nina Simone é impressionante, arrepia! Abraços

Turista de Plantão disse...

Não podemos deixar de lembrar Lester Young, grande partner de Billie Holiday, lastimavelmente morta aos 44 anos em Nova York.(http://www.youtube.com/watch?v=1IyuG_2jXsE&feature=related) Grande abraço!

Fernando Huete disse...

È verdade,mea culpa, "the pres" Lester merecia estar aqui. E muitos outros. Valeu !

Helio 'Scubi' Jenné disse...

Sensacional a história do Clube do Algodão, Fernando. Seu blog é demais e coloquei um link pra cá lá no Blog do Lobo do Rock. Você merece. Abração.

Fernando Huete disse...

Valeu Helio, obrigado. Gostei do seu muito também, e por isso já esta aqui nos meus links indicados. Um abraço.

Fernando Huete disse...

Valeu Helio, obrigado. Gostei do seu muito também, e por isso já esta aqui nos meus links indicados. Um abraço.